Brechó não é coisa do passado, confira a entrevista com Ana Mastrochirico criadora do site Garimpo Mag

41_post_blog

Comprar em brechós não é nenhuma novidade, seja para encontrar roupas de décadas passadas e exclusivas ou simplesmente para economizar, o garimpo de peças é um hábito antigo e está ganhando cada vez mais força nesse momento em que estamos repensando nossos hábitos de consumo, já que optar por comprar peças de segunda mão, reutilizando-as e estendendo seu ciclo de vida, parece ser a opção mais sustentável que há.

20160731_160726
Ana Mastrochirico

O mercado de brechós no Brasil também foi impulsionado pela crise econômica que estamos vivendo, o aumento de lojas, principalmente, virtuais oferecem bons produtos a preços mais acessíveis. O setor movimenta 5 milhões por ano no país.

Para conhecer mais sobre esse universo convidamos a Ana Mastrochirico, designer gráfica e idealizadora do site Garimpo Mag, para contar um pouco sobre sua experiência no garimpo de roupas e ajudar aqueles que ainda não se aventuraram entre as araras cheias de peças com histórias.

1. Conte para nós um pouquinho sobre seu site e de onde surgiu seu interesse por brechós e por garimpo de peças.

A Garimpo foi uma consequência do hábito de comprar em brechós. Essa prática vem de família, minha mãe sempre ia em brechós e me levava junto. Quando mais nova não entendia o quanto isso tinha algo de positivo, mas depois de mais velha, já na universidade adotei cada vez mais esse hábito. No primeiro momento era uma questão de gostar apenas, é muito bom achar uma peça de roupa única pra chamar de sua e que ninguém mais vai ter, a exclusividade era o que mais me atraia.

Como sempre estava usando looks de brechós e as amigas elogiavam e perguntavam como eu achava essas coisas legais, resolvi começar uma página no facebook pra falar sobre o assunto, mostrar as peças que encontrava e indicar brechós na cidade de Vitória – ES, onde morava. Quando vi que eu gostava mesmo de falar sobre brechós resolvi começar o blog. Isso já tem uns 3 anos.

Em 2015 passei o ano todo fazendo o projeto #365diasdebrecho. A proposta que cumpri foi ficar 1 ano inteiro usando apenas peças de second hand e brechós, pra mostrar que dava sim para adotar uma nova forma de consumo. Nesse tempo meu olhar sobre o assunto foi amadurecendo e também comecei a vender algumas roupas que selecionava em minhas idas aos brechós como uma forma de fazer um ciclo sustentável de consumo. O blog foi importante para falar sobre a experiência e abordar cada vez mais assuntos relacionados ao consumo consciente também.

2. Para você o que é mais importante ao comprar uma roupa em um brechó?

O mais importante é a qualidade, nesse sentido analiso bem para ver se não tem defeitos. Além disso gosto de roupas vintage, com uma carinha mais diferenciada, coisas que a gente não encontra em lojas comuns. E gosto de escolher peças que possam combinar com o que tenho em casa. Ter um guarda-roupa reduzido ajuda muito nessa hora, fica mais fácil pensar nas possibilidades de combinações na hora que estou garimpando.

3. Você acredita que existe uma nova tendência de consumo em brechós? Porque acha que isso está acontecendo?

Sim, acredito! São vários fatores, mas acho que atualmente o principal deles é crise financeira pela qual o país está passando. O poder aquisitivo diminuiu e as pessoas encontraram outra forma de consumir e até empreender, por isso essa tendência de surgimento de mais brechós. As pessoas compram nos brechós por conta do preço baixo e com o tempo começam a perceber que esse é um mercado rentável e que envolve também responsabilidade ambiental, ou seja, acredito que comprar em brechós está se tornando uma tendência pela facilidade e necessidade. Espero que essa tendência fique por um bom tempo, pois acho que ter essa consciência de um consumo baseado em reutilização é o futuro.

4. Quais principais conselhos que você daria para alguém antes de comprar em um brechó? 

Hoje existem vários tipos de brechós, aqueles que são bagunçados e realmente cheiram a naftalina e outros que são um pouquinho mais gourmetizados e que já tem uma pré-seleção das peças. Nesse último é como comprar em uma loja, pois tudo é bem organizado. Mas, pra quem prefere garimpar MESMO, o melhor lugar pra achar peças vintage são os brechós bagunçadinhos. Nesse caso, é sempre bom ter olhos atentos, visualizar bem as peças e principalmente experimentar antes de comprar, uma vez que as modelagens de roupas antigas são um pouco enganadoras.

Em relação a tecidos e estilos vai muito do gosto pessoal. No meu caso, quando entro em um brechó vou primeiro nas peças com estampas, que normalmente são lindas e muitos bem trabalhadas. Prefiro peças de linho e de preferência com uma modelagem bem diferente. Acho que o bacana de um brechó é encontrar roupas de outras décadas, elas tem uma qualidade muito maior do que as produzidas hoje em dia. Acho que não vale a pena ir em um brechó pra comprar uma roupa da coleção passada de uma fast fashion, sabe!? Ao fim, garimpar em brechó é uma questão de prática, uma forma também de exercitar nossos gostos e conhecer melhor nosso corpo.

5. Na sua opinião quais são as principais barreiras que impedem que muita gente ainda não compre em brechós ou roupas de segunda mão? E como mudar isso?

Acho que ainda existe um certo preconceito, e pelo que vejo, no interior isso é ainda mais forte. As pessoas tem vergonha de serem vistas comprando roupas usadas. Em outros casos é só uma questão de falta de hábito, a pessoa nunca foi, nunca comprou, e nunca precisou, então não vê motivos pra usar roupas usadas.

Por outro lado, todo mundo que entra uma vez em um brechó e encontra uma peça linda pra chamar de sua volta a comprar sempre! Querendo ou não, acho que é tudo uma questão de tendência e informação. Se a amiga compra, a pessoa se sente influenciada a comprar, ou seja, tendência. E quanto mais a pessoa tem informações a respeito do assunto mais ela se sente a vontade para aderir aos brechós. É por isso que a Garimpo existe, a ideia é mostrar para as pessoas que o brechó tem coisa boa sim, e que dá pra se vestir muito bem e ainda contribuir para o meio ambiente, mesmo que indiretamente.

6. Estamos vivendo um momento de repensar nossos hábitos de consumo como você acha que a cultura de brechó e peças de segunda mão colaboram com isso?

Acho que a cultura de brechó é o primeiro passo em direção ao consumo consciente. Pois é prático, é mais comum, é acessível, e é a partir daí que as pessoas passam a se questionar sobre outros assuntos que envolvem seus hábitos de consumo. Ficamos muito tempo condicionados as fast fashions, não existia um questionamento tão ativo sobre o consumo desenfreado como existe hoje.

O brechó é na verdade a porta de entrada para hábitos mais saudáveis de consumo. Muitas pessoas ainda não se dão conta disso e por isso é importante falar cada vez mais sobre o assunto. Pode ser que isso não salve o mundo, mas que vai ser um passo para mudanças maiores, isso vai.

7. Poderia dar algumas dicas de brechós que você conhece e que vale a pena conhecer?

Acho legal falar de alguns online, que estão com peças bem legais e conteúdo bacana. E assim também todo mundo pode ter acesso:

Garimpário – É um brechó lá do Sul, pra quem está procurando peças diferentes e casacos mais pesados é uma ótima pedida.

Alabama Hotel – É um brechó relativamente novo, mas eles estão fazendo um trabalho bem legal com conteúdo e editoriais bem bacanas.

Aurora Rouparia – É um brechó com peças antigas, mas com uma pegada bem moderninha. Tem de tudo um pouco e um precinho bem camarada.

No insta também tem muito brechós legais, que fazem vendas como se fosse numa loja online:

@velharia_brecho – Peças vintage muito bem selecionadas, enviam pro Brasil todo

@saravabrecho – Nesse tem roupas pra meninas e meninos. O feed é bem legal, vale a pena dar uma olhada.

@ogarimpobrecho – Esse é o meu brechó, por lá vendo peças que garimpo em brechós em SP. Tudo feito com muito amor e carinho.

Acompanhe o site Garimpo Mag e fique sabendo tudo sobre brechós, garimpo de peças e consumo consciente.

Conheça também outros brechós e iniciativas no site SDF 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s